Profissionais da saúde de Marataízes recebem capacitação sobre animais peçonhentos

Atualmente, os acidentes causados por animais peçonhentos ainda representam um sério problema de saúde pública no Brasil. No interior de Marataízes, na localidade de Jacarandá, houve recentemente casos de aparecimento de escorpiões, fato que trouxe um alerta para que o assunto fosse debatido mais amplamente entre os profissionais da área de saúde do município. Com isso, a Prefeitura Municipal de Marataízes através da Secretaria de Saúde e o Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social – PESMS promoveu nesta quarta-feira (29) uma capacitação sobre animais peçonhentos.

Cerca de 150 profissionais participam do encontro, dentre eles, médicos, enfermeiros, farmacêuticos (APS e PAMM), Agentes de Saúde, endemias, equipes das Vigilâncias em Saúde (Sanitária, Ambiental, Epidemiológica e Saúde do Trabalhador) e convidados como os membros do Conselho Municipal de Saúde, Desbravadores, Secretarias de Meio Ambiente, Setor de Comunicação e Secretaria de Obras e Secretaria de Serviços Urbanos. A Para debater o assunto estiveram presentes as representantes da Secretaria de Estado de Saúde e referências técnicas do Programa de Animais Peçonhentos, a enfermeira Denise Souza Pimentel e a médica, Drª. Elizandra Cola, que ministraram as palestras em locais distintos, sendo que a primeira palestrante ficou no terceiro andar e a segunda, no auditório da Saúde.

Segundo a Coordenadora do PESMS de Marataízes, Cristiane de Deus Lemos Amaro, a capacitação teve por objetivo atualizar os profissionais sobre o assunto para que possam estar preparados para agir em situações de risco e ainda, conscientizar a população sobre a prevenção, para que não haja casos desses animais nos bairros e consequentemente nas residências.

“Durante uma reunião com a equipe da câmara técnica do PESMS estadual, na qual tivemos a presença da enfermeira Denise Souza Pimentel abordando o assunto, visualizamos a necessidade de expandir as informações sobre os animais peçonhentos, pois tivemos recentemente casos de escorpiões em Jacarandá, no interior do município, o que causou um alerta na população.” Diz Cristiane.

Rosângela Senna Miranda, coordenadora da PESMS do Estado, destacou Marataízes como uma referência do programa na região sul, avaliando positivamente a união das vigilâncias e o trabalho desenvolvido pela equipe técnica. A coordenadora convidou a equipe municipal para apresentar, na próxima reunião prevista no município de Anchieta, as ações desenvolvidas no município através do PESMS.

“Palestra muito proveitosa e enriquecedora. Aprendemos muito. Precisamos dessas parcerias para melhorar o trabalho ofertado à população. Quando vou numa casa não vejo somente o problema da dengue, mas observo outros problemas dentro da família e busco auxiliar da melhor forma possível. A equipe de endemias fez em Jacarandá um trabalho de conscientização sobre os casos de escorpião, pois as pessoas precisam procurar o apoio, e identificar o que está acontecendo através das notificações para que possamos ter os dados estatísticos e acionar o apoio do Estado. Que outras palestras com este nível de profissionais aconteçam mais vezes.” Avalia a supervisora dos Agentes de Endemias, Norma Lúcia da Silva.

O Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social, desenvolvido há cerca de 20 anos em Marataízes, é parte das ações da Vigilância em Saúde e a responsável por aproximar a população dos projetos realizados pela municipalidade. Outros programas ofertados são o de Imunização, que são as vacinas e o Centro de Testagem e Aconselhamento de IST/AIDS – CTA, com os testes gratuitos de sífilis, hepatite e Aids.

Na ocasião, estiveram presentes o grupo de artesãs Flores do Mar da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Trabalho e o projeto Cuidando dos Pets, da Secretaria de Meio Ambiente. As artesãs presentearam as palestrantes com arranjos de flores confeccionadas com escamas de peixe e o meio ambiente sorteou, entre os participantes, uma cama feita de pneu para animais domésticos.

Animais Peçonhentos
Os animais peçonhentos do Brasil são animais caracterizados por possuírem glândulas especializadas que produzem e secretam veneno, por meio de um mecanismo instintivo, de defesa e caça. A substância tóxica expelida é oriunda de atividades metabólicas e é liberada através de estruturas específicas desenvolvidas em seus corpos, como exemplo, quelíceras, agulhões e presas, que são respectivamente, das aranhas, dos escorpiões e das serpentes. Por isso os animais que possuem esse aparato de síntese e inoculação da peçonha são denominados de animais peçonhentos.[1]
Exemplos desses animais são cobras, aranhas, escorpiões, lacraias, taturanas, vespas, formigas, abelhas e marimbondos. O seu conhecimento é imprescindível, pois suas toxinas podem causar danos gravíssimos a saúde, podem ocasionar morte. Eles estão presentes em todo território nacional, tanto em ambientes urbanos e rurais, o maior número de ocorrência de acidentes advêm de domicílios, pois ocorre descuidos e não atentam-se a presença do animal e ao sentirem-se ameaçados, injetam o veneno com o intuito de imobilizar o agressor e fogem pra um lugar seguro.

Data de Publicação: quinta-feira, 30 de agosto de 2018

ACOMPANHE A PREFEITURA


Endereço:
Av. Rubens Rangel, 411 - Cidade Nova
CEP 29.345-000 - Marataízes